Aqui que ninguém nos ouve...
Sábado, 12 de Fevereiro de 2005
Caminhada V
Caminhada às Minas dos Carris - Gerês
Distância: 18 km. - Tempo dispendido na caminhada: 6 horas.

Início da subida - piscina natural... Posted by Hello

Rio Homem Posted by Hello

Sobe que sobe... Posted by Hello

Após 1 hora e 30m. de caminhada... Posted by Hello

Neve e água... Posted by Hello

Pouca água para a época... Posted by Hello

e mais gêlo... Posted by Hello

Gêlo... Posted by Hello

lindo... Posted by Hello

,,, Posted by Hello

Escutas... caminheiros... Posted by Hello

abrigo... Posted by Hello

lago gelado... Posted by Hello

... Posted by Hello

lago gelado...visto do cume... Posted by Hello

O cume... Posted by Hello

vista aérea dos Carris... Posted by Hello

e para quem vinha atrás... deixamos obra!... Posted by Hello

O ponto de partida é o posto de fronteira da Portela do Homem, onde se pode deixar a viatura.
Descemos ao longo da estrada de alcatrão (700 mts.), passando ao longo do Curral de S. Miguel para, um pouco mais à frente, atingir a ponte de S. Miguel sobre o rio Homem. Aqui apreciamos a queda de água e o poço que no verão faz a delícia de muitos visitantes. Neste local, encontramos uma cancela que impede a passagem a viaturas e marca o início do estradão de acesso às Minas dos Carris.

Percurso bastante fácil de seguir, mesmo sem mapas, porque se caminha sempre ao longo de um estradão que, antigamente, dava acesso às Minas dos Carris - minas de volfrâmio entretanto desactivadas. O grau de dificuldade médio/elevado deriva do desnível do percurso - sobe-se sempre em direcção às minas - e da distância a percorrer. Esta caminhada tornou-se mais interessante dado que a neve cobria grande parte do trilho, facilitando o percurso sinuoso de cascalho de granito.
Gerês Garranos.jpg
Após uma hora de caminho, passamos a um metro de distância de um casal de ‘’garranos’’ que simpáticamente nos miraram!...

Seguimos sempre ao longo do estradão, tendo pelo lado esquerdo a Encosta do Sol, que no inverno, com o aumento das chuvas, dá origem a diversas quedas de água. Do lado direito, mais sombrio, grandes fraguedos se elevam, com corgas de vegetação muito densa. No mesmo lado direito apreciamos a beleza do gêlo que cobria as rochas . A água cristalina corria sob o gêlo.
Gerês Neve046.jpg
Algum tempo depois da partida, chegamos à Fonte da Abilheira, onde se pode abastecer de água fresca. Bastante mais à frente, passamos a ponte sobre a Ribeira Água de Pala e, algum tempo depois, passamos a ponte sobre a Ribeira do Cagarouço e, mais à frente, a ponte sobre a Ribeira de Madorno, que marca sensivelmente o meio do caminho até às minas.
Caminhamos assim até à Chã do Teixo, local assim designado por ter aí existido uma árvore com o mesmo nome. Um pouco mais acima, já bem no alto, passamos sobre um pequeno pontão, designado por Chã das Abrótegas, onde se podia ver restos de uma antiga branda (local de pernoita de pastores).
Após caminhar um pouco mais, chegamos perto do alto e o cume mais próximo é o dos Carris (1504m). Um pouco mais além, estava o Pico da Cabreirinha (1544m), o ponto mais elevado da serra e do PNPG, miradouro deslumbrante de terras galegas e do Barroso.
Chegado às minas, pudemos visitar todo o local, já bastante degradado, tendo em atenção os fundos buracos das minas.
Do alto pudemos divisar vários lugares de referência do PNPG. Fizemos aí uma pequena paragem para apreciar o Corgo de Lamalonga, local onde se depositaram os resíduos da lavagem do minério ao longo do período de laboração da mina.
De registar a chegada de vários pequenos grupos de caminheiros, sendo o mais interessante o de uma vintena de Escuteiros de Castelões que mais pareciam caminheiros àrabes...
Gerês Escutas 083.jpg
Próximo do marco geodésico, visitamos a represa que fornecia àgua para a lavagem do minério, espectáculo digno de ser visto – metade da água estava gelada – pudemos assim ensaiar pequena caminhada sobre as águas!...
Lago gelado...
Gerês Gêlo 106.jpg
O regresso é efectuado pelo mesmo percurso, mas no sentido inverso.



publicado por ANTRES às 23:01
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De bloquista a 18 de Fevereiro de 2005 às 01:13
http://www.bloco.org/index.php?option=com_bookmarks&Itemid=0&catid=1&task=view&mode=0&id=12&search=*


De F Lopes a 17 de Fevereiro de 2005 às 10:46
Caro amigo,

Quero endereçar um abraço e ao mesmo tempo fazer uma chamada de atençao, para o facto de neste tema não ser possivel visionar as fotos que para além do texto são de interesse fundamental afim de se tomar conhecimento de tão bela zona do nosso Pais. Há que corrir esta lacuna !!


De Filipa a 17 de Abril de 2008 às 15:41
É só para dizer que os escuteiros de castelões não são caminheiros mas sim exploradores..

:)


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


posts recentes

...

Mudei de endereço

Canoagem

Week End

Mais pobres...

Viajar

Guantanamo

Gatices...

arquivos

Abril 2008

Maio 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post